Um fim de semana no País de Gales


Mesmo com muitas aulas e tarefas programadas para o curso de Marketing em Bournemouth, dei um jeito de aproveitar um fim de semana para mais uma vez botar o pé na estrada. Meu destino era Cardiff, a capital do País de Gales.

O País de Gales (Wales, em inglês) é uma das nações que compõem o Reino Unido. Por falar nisso, você sabe a diferença entre Reino Unido e Grã-Betanha? Como mostra o esquema gráfico ao lado (executado no sofisticado software Paint), o Reino Unido é a soma da ilha da Grã-Betanha com a Irlanda do Norte, que faz divisa na ilha oeste com a soberana República da Irlanda (totalmente independente da Família Real).

Voltando ao tema do post: Localizado na porção oeste da ilha da Grã-Betanha, o País de Gales ainda permanece fora do radar dos turistas brasileiros, mas garanto que uma visita rápida vale a pena. Com cerca de 350 mil habitantes, a cidade é relativamente pequena. O povo é simpático e acolhedor, há belas construções para ver, uma vida noturna movimentada e um impressionante centro comercial num calçadão gigantesco na região central de Cardiff.

A instalação artística foi erguida bem no meio do centro comercial da cidade

No shopping, uma rádio local distribui donuts de graça para atrair o público

Mesmo pequena e desconhecida da maior parte do batalhão de visitantes que lotam toda a Europa em busca das cidades-pólo do turismo mundial, Cardiff é uma cidade que merece ser descoberta. Não é preciso dedicar uma quinzena à capital. Em dois ou três dias é possível ver os destaques da cidade e conhecer um pouquinho mais da vida dos galeses, que são extremamente sociáveis (bem diferente dos vizinhos ingleses, por exemplo) e têm até uma língua própria, o welsh (é verdade, o inglês não é a única língua oficial por aqui!).

O welsh está por toda a parte e não tem nada a ver com o inglês

O Centro de Informação Turística fica no centro comercial e distribui brochuras e guias gratuitos: vale uma passadinha para tirar as dúvidas e programar melhor a visita

O medieval Castelo de Cardiff é a principal atração da cidade e fica bem no meio da zona urbana, criando uma interessante interação com a arquitetura inovadora dos prédios e monumentos modernos. O País de Gales também é o local ideal para conhecer o mundo do rugby, já que o esporte é uma das opções de lazer mais procuradas por essas bandas. O Millenium Stadium, instalado às margens do rio Taff, é muito bonito.

O Castelo de Cardiff foi construído há um milênio e hoje é aberto à visitação turística

O Millenium Stadium é sede para jogos de rugby e apresentações musicais

A arquitetura moderna atrai os olhares por toda a cidade; este é o prédio da escola nacional de música e drama

Assim como na Marina Bay, em Singapura, quantias significativas foram investidas na recuperação da Baía de Cardiff. O plano deu certo e hoje a baía da cidade é um dos locais mais visitados pelos turistas, cheio de atrações, restaurantes e construções inovadoras.  O Millenium Center, centro cultural dedicado a peças musicais e dramáticas, chama a atenção pela enorme fachada, com palavras em inglês e welsh.

A baía de Cardiff é um dos locais mais bonitos da cidade

A gigantesca fachada do Millenium Center estampa a maioria dos materiais de divulgação da cidade

"In these stones horizons sing": a citação é mostrada em inglês e welsh

Um grupo de fãs da série de ficção científica Torchwood também frequenta a baía, mas para protestar contra a mudança da gravação do programa para os EUA (a parede coberta de mensagens é uma das locações utilizadas nas gravações)

Minha passagem por Cardiff durou apenas alguns dias, mas foi bastante intensa. Quase tão intensa quanto Paris, último destino a ser desbravado nesta volta ao mundo. No próximo post, você confere a passagem pela Cidade-Luz e descobre comigo como um lugar tão famoso pode ser tão surpreendente.

Anúncios
Esse post foi publicado em Europa, País de Gales e marcado , , , . Guardar link permanente.

16 respostas para Um fim de semana no País de Gales

  1. Olá!
    Tenho uma dúvidazinha, que não acho para esclarecer:
    Moro em Portugal (sou Br), mas quero passear em Wales. Tenho um amigo que é gales e iria me receber lá. Porém queria saber se eu saindo daqui de PT ao chegar na alfandega de Wales preciso comprovar o valor de dinheiro de carrego e seguro saúde. Preciso?
    Pois como é vôo interno europeu não sei, e não acho em nenhum lugar a info.

    • Fellipe Faria disse:

      Raquel, acho que o procedimento é o mesmo que sair de Portugal e ir pra Inglaterra, pois na verdade tanto em Wales quanto em território inglês o procedimento é o da soberania do Reino Unido.
      Bjos!

  2. Luiz Carlos Bertin disse:

    Ola Felipe, tudo bem
    Tenho 63 anos e comecei minhas viagens com 58. Já tive a oportunidade de conhecer vários países e minha próxima viagem será ao Reino Unido. Vou ficar 20 dias e quero conhecer Gales, Escócia, Inglaterra e Irlanda do Norte. Vou com a esposa, filha e genro. Gostaria de sua ajuda na divisão desses 20 dias. O que você me aconselharia? Ótimas viagens pra você, um grande abraço e desde já obrigado pela dica.

    • Fellipe Faria disse:

      Luiz, que coisa bacana! Com essa galera toda, acho que pode compensar alugar um carro (se bem que com a mão inglesa pode dar problema, né?).
      Eu conheci só a Inglaterra e Gales, mas fiquei com muita vontade de conhecer a Escócia (dizem que Edimburgo é MUITO legal). Sobre a Irlanda do Norte, também queria conhecer, mas todos os ingleses me desencorajaram, disseram que não tinha nada pra ver em Belfast. Eu ainda acho que quanto menos desbravado, mais curioso. Agora, a Inglaterra tem bastante coisa pra ver. Tem toda a Londres (que tira pelo menos uns 3 dias), tem Stonehenge, tem as opções segmentadas (Cambridge/Oxford/Liverpool)… eu tiraria uns 9 dias pra Inglaterra, uns 5 pra Escócia, 3 pra Gales e 3 pra Irlanda do Norte. Você já tem algum roteiro em vista? Abraço!

    • Priscila disse:

      Olá, Luiz!
      Estou planejando mais ou menos esse mesmo roteiro para agosto. Vc já foi? Pode me dizer como foi?

      • Luiz Carlos Bertin disse:

        Ola, Priscila, tudo bem?
        Minha viagem está marcada para Maio do próximo ano.
        Infelizmente não posso te ajudar ainda.
        De qualquer forma te desejo uma ótima viagem e se puder, na volta, me manda algumas dicas.
        Um grande abraço.
        Luiz Carlos

  3. Fernanda disse:

    Fellipe, como esta sendo sua adaptacao no Brasil? Conta para a gente…eu encerrei minha viagem antes da hora pq fui roubada no Libano…episodio meio traumatico. Estou em Londres desde entao e cortei a parte da Turquia e Grecia do meu roteiro. beijos. Fernanda

    • Fellipe Faria disse:

      Fê, vou atualizar o blog com Paris e fazer um post de conclusão, contando tudo isso e mais um pouco. Agora eu vou querer detalhes do roubo libanês… vou deixar um comentário lá no seu blog. Beijão!

  4. Renato disse:

    Valeu Fellipe, obrigado pelas dicas!

  5. Laura Nardelli disse:

    Oi querido, continuo acompanhando o blog!
    Lembro q fui a Cardiff com uma promoção de passagem aérea. Paguei a ida e a volta saiu por uma libra 🙂
    Valeu a pena!
    Beijos

  6. Renato disse:

    Oi Fellipe, tudo bem? Acompanho seu blog faz tempo, até porque vou fazer uma viagem bem parecida… estou colhendo experiências de diversos viajantes pra tirar minhas dúvidas… se você puder me contar a sua, vai me ajudar muito…. Minha principal dúvida no momento é quanto ao celular. Você levou algum celular? Tem algum plano feito aqui no Brasil especialmente pra viagens como essa? Você conseguiu por exemplo receber mensagens e ligações de quem está aqui no Brasil? Não entendo nada dessa parte de celular e antes de falar com operadora ou coisa e tal, queria ouvir relatos de quem fez a viagem… Só pra esclarecer: não quero ficar ligando nem falando direto com o brasil não… seria mais assim pra mandar e receber mensagem mesmo… em emergências… enfim, se puder ajudar vai ser ótimo. Boa viagem e obrigado.

    • Fellipe Faria disse:

      Fala, Renato! Olha só, adianto que cada pessoa age de uma forma com relação ao celular. Como você está mudando de país a todo momento, teria que comprar um monte de sim cards. Eu até levei meu celular, mas só comprei um chip na Tailândia (e mesmo assim não acho que compensou muito, porque era uma verdadeira confusão pra colocar crédito). Pra mim, o Skype funcionava melhor – eu colocava créditos e quando precisava falar com algum número no Brasil era só usar o netbook.
      Acredito que o uso de celular é uma questão de costume: cheguei no Brasil antes do Carnaval e só fui reativar meu número neste fim de semana… e admito que às vezes estava preferindo permanecer incomunicável, hehe. Mas muita gente sente necessidade de falar com os pais todos os dias, essas coisas (vai depender do seu caso). Resumo da ópera: sugiro que deixe um endereço de e-mail informado a amigos e familiares para questões de emergência e visualize constantemente. Para contatá-los, você pode utilizar o Skype ou a alternativa mais trabalhosa – comprar um chip em cada lugar que você estiver. Espero ter ajudado. Depois conta pra gente da sua viagem! Abraço

  7. Lilian disse:

    Fui em Cardiff e também não me arrependi! É mesmo muito bonitinho! Dá a impressão que estamos no interior! Abraços

  8. Rafael disse:

    Nunca tinha pensado em visitar o país de Gales, mas num é que parece ser um lugar interessante. A gente sempre pensa na Inglaterra e na Irlanda e esquece dessa outra opção.

  9. Rodrigo Rocha Ramalho disse:

    As histórias estão ótimas, mas quando volta para cá?

Comentários, sugestões, dúvidas? Respondo a todos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s