Dias de espanhol em Madri

Madri não é tão turística quanto algumas de suas vizinhas européias. Na capital da Espanha não há uma Torre Eiffel, um Coliseu, um Big Ben ou um monumento tão icônico e identificável para estampar as fotografias dos visitantes. Mesmo assim, a cidade é o centro dos séculos de história de um país que consegue reunir quatro línguas e regiões muito distintas em um espaço do tamanho do estado de São Paulo.

O Reino da Espanha, uma monarquia parlamentarista comandada pelo rei Juan Carlos – aquele que mandou o “por qué no te callas?” para o Hugo Chávez -, é o primeiro país que visitei na União Européia (clique no link e saiba mais sobre o país na Wikipédia).

E para conhecer um pouco da vida dos madrilhenhos, é preciso fazer o que eles fazem. Tomar o excelente metrô, circular pelos arredores da Estação Sol, fazer algumas comprinhas na Gran Via, comer churros com chocolate quente… não falta opção. E quando estiver em busca de diversão, saiba que os espanhóis também adoram uma farra. A balada começa tarde, bem depois da meia-noite, e costuma terminar só pela manhã. Como todos os anos nesta época, a Plaza de Toros – símbolo do esporte nacional – havia encerrado a temporada de touradas. Ainda assim vale a pena conhecer o monumental estádio, mesmo que só por fora.

A monumental Plaza de Toros

Uma estátua em frente ao estádio lembra que nem sempre o dia é do toureiro

O gigantesco Palácio Real

Os arredores da Estação Sol estão sempre tomados por centenas de pessoas

Bem no meio da muvuca, uma portuguesa oferecia abraços grátis!

No metrô, a TAM convida os espanhóis para as Cataratas do Iguaçu

Nesta barraquinha típica são vendidos churros e porras. Calma, as "porras" são uma versão mais grossa dos churros

A Gran Via, paraíso das compras na capital espanhola

No Centro da cidade, uma fila quilométrica para as apostas da loteria de Natal... memórias do Brasil

O Chapolin Colorado também parece fazer sucesso em Madri

O Parque do Retiro é a área verde mais visitada da cidade. Nas mesmas vias onde muitos praticam cooper e outros esportes, vários artistas de rua fazem suas performances. O Parque também é sede de atrações turísticas como o Palácio de Cristal, que tem em seu interior uma gigantesca instalação de vidro.

O Palácio de Cristal é um dos locais mais visitados no Parque do Retiro

Ali dentro, uma enorme instalação de vidro chama a atenção

O show de fantoches deixa a criançada atenta

"Guernica", de Picasso, está no Museo Reina Sofia

"As meninas", de Velásquez: tópico de qualquer curso de história da arte

Os museus de Madri abrigam algumas das obras de arte mais conhecidas do mundo. A enorme tela Guernica, de Pablo Picasso, divide espaço no Museo Reina Sofia com trabalhos de Salvador Dalí e outros talentos. Já o Museo del Prado reúne o acervo de Diego Velásquez – sua tela mais conhecida é “As Meninas”, que retrata o momento em que o próprio pinta uma cena da família real sob o ponto de vista do rei e da rainha.

Uma boa notícia: a maioria dos museus de Madri tem horários de visitação gratuita. Para entrar de graça no Museo Del Prado, é só ir das 18h às 20h de terça a domingo. No Reina Sofia, a entrada gratuita é de segunda a sexta das 19h às 21h e, no sábado, das14h30 às 21h (antes de ir, clique nos links com os nomes dos museus para conferir se a informação está atualizada). Não sou dos maiores fãs de museus, mas garanto que uma passadinha de graça vale a pena, ao menos para ver de perto as telas mais famosas.

A fachada do belo prédio do Museu Reina Sofia

"Le grand masturbateur", uma das obras de Dalí em exposição

Em frente ao Museu del Prado, a estátua de Velásquez recebe os visitantes

Nada de portunhol

Meu principal objetivo em Madri era aprender castelhano. Cansado de passar vergonha com meu portunhol toda vez que encontrava um vizinho da América do Sul pelo mundo, vi que algumas semanas de educação formal na língua me ajudariam bastante. Pesquisei muito na Internet para encontrar um curso bom e barato que oferecesse acomodação na capital da Espanha e acabei escolhendo a escola Don Quijote (não esqueça de pedir desconto no momento da cotação).

Os alunos e professores com quem passei alguns dias aprendendo castelhano: echo de menos!

E foi tudo surpreendentemente ótimo! As aulas, os professores, os colegas de classe… conheci gente bacana, aprendi muito e hoje posso dizer que as aulas foram uma excelente decisão. Hoje mesmo, enquanto conversava em espanhol com uma mexicana aqui no hostel de Roma, lembrei que há dois meses isso seria impensável. É claro que não estou hablando fluentemente, mas ao menos superei aquele desconforto terrível de não saber se o que estou falando é apenas português com sotaque.

Ah, só lembrando que este não é um post pago e a escola não me patrocinou para escrever isso tudo (infelizmente, hehe)… Só estou elogiando porque o curso foi mesmo proveitoso e fiquei satisfeito.

Las habitaciones

Calle Gaztambide 34: meu endereço em Madri

Não sei se acabei me acostumando com a  bagunça dos hostels e hospedarias em que repousei nos últimos meses, porque o flat em que morei foi uma ótima surpresa. O apartamento era enorme e tinha uns seis quartos, além de uma cozinha completíssima, máquina de lavar e quartos com roupa de cama e cobertores – e alguns detalhes luxuosos para um mochileiro acostumado a deixar as roupas armazenadas debaixo da cama: havia guarda-roupas com cabide e até escrivaninhas!

Meu companheiro de quarto era um chinês. Wen Hui tinha certa dificuldade com o inglês e ainda dava os primeiros passos no espanhol, o que dificultou um pouquinho a comunicação nos primeiros dias. Mesmo assim, essa convivência foi responsável por histórias interessantes.

Com o chinês Wen Hui em uma de nossas andanças por Madri

Certo dia o chinês me ofereceu algumas pequenas balinhas embaladas num papel metálico, parecidas com aquelas balas Ice Kiss. Depois de aceitar e colocar na boca, percebi que o sabor era estranhíssimo e descobri que eu estava chupando bala… de carne! Em uma outra oportunidade, cheguei do curso e notei que um cheiro de pimentão dominava todo o quarto. Quando olhei para o chão, vi uma panela elétrica de arroz ligada no meio dos aposentos! Mas era só chamar e lá vinha ele dizendo: “oooh, perdón, perdón, perdón”.

Balas de carne e um chá chinês: alguns presentes que ganhei de Wen Hui

Mas Wen Hui não protagonizou apenas momentos divertidos. Em uma de suas primeiras noites em Madri, ele andava com um amigo por uma rua escura da cidade e foi abordado por um espanhol, que saiu de um carro dizendo que era policial e exigindo agressivamente seu passaporte. Depois de mostrar o documento, o homem quis ver sua carteira. Alguns minutos depois, quando o espanhol já havia ido embora e devolvido seus pertences, Wen Hui percebeu que a carteira tinha retornado com 1200 euros a menos. Excesso de ingenuidade? Talvez. Mas é preciso lembrar que no Brasil aprendemos na marra a evitar esse tipo de golpe, uma noção que falta a muitos estrangeiros (como meu amigo chinês). Depois dessa noite, Wen Hui seguiu minhas dicas e passou a sair de casa com pouco dinheiro e uma cópia do passaporte. E aos leitores, fica a dica: jamais entregue seus documentos (e muito menos sua carteira) a um estranho sem identificação oficial.

Ahi me voy otra vez, ahi te dejo Madri!

Depois de matar (ainda que por pouco tempo) a rotina de morar em uma cidade, fazer comida e ter uma cama pra chamar de minha, chegou a hora de voltar ao dia-a-dia de mochileiro. Peguei o busão para uma outra cidade espanhola, mas que parece fazer parte de um outro país. Próxima parada, Barcelona!

Anúncios
Esse post foi publicado em Espanha, Europa e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

19 respostas para Dias de espanhol em Madri

  1. Julio Beal disse:

    Felipe, vou passar 3 meses mochilando para Europa, reservei um Hostel Las Musas por 3 dias só, mas tenho passagem ida e volta e seguro internacional. Acha que o pessoal pode complicar na entrada? Abraço

    • Fellipe Faria disse:

      Oi Julio! Se a passagem é ida e volta não tem problema. Você já sabe como vai viajar entre os países? Dificilmente alguém vai encrencar contigo, mas se tiver mais passagens e comprovantes dos seus planos é mais tranquilo ainda. Abraço!

      • Julio Beal disse:

        Assim, tenho a de Ida de volta para o Brasil e não terei dificuldades para me locomover entre países, já estive ano passado durante um mês mas em outros pauses… Outro fator que vou com menos de 65 euros por dia… mas sei lá se vão pedir tb… A questão é que não pretendo ter roteiros internos, mas vamos lá… encarar a viagem… Parto semana que vem…

  2. Olá Felipe, tudo bem?

    Estava vendo fotos de Madri no google e me deparei com uma sua. Achei interessante o fato de ser uma foto de um conhecido. hehe.

    Li o sue post e achei nem nteressante a sua experiencia de mochileiro.

    Estou saindo de Dublin para o Brasil e tenho pouco tempo de conexão em Madri. 12 horas mais ou menos.

    Uma noite apenas. Alguma sugestão? Viajo agora dia 18. Abs.

  3. Amanda disse:

    Achei seu site por acaso e adorei o post! Parabéns!!!
    Vou para Madri no natal e volto depois do reveillon.. Queria saber se o frio desse período é insuportável rs.. queria dicas sobre o tempo nessa época. Vi que pode ter sol, então já fiquei feliz.. Obrigada!

    • Fellipe Faria disse:

      Amanda, não é insuportável não. É bem frio, mas nada que um bom agasalho não resolva!
      (o melhor é até deixar pra comprar os mais pesados por lá e aproveitar as ofertas, haha)

  4. Wendell disse:

    Sensacionais as fotos, em especial a do teto roxo do Palácio de Cristal. Parece computação gráfica! Se um dia você virar cantor e for lançar um CD, já tem uma capa pro disco, rsrs.

    Conheci seu blog através de outros mochileiros pelo mundo, o Fred e a Leticia, e estou acompanhando ambos. Vocês são uma inspiração pra mim, que pretendo fazer uma RTW também, mas de bicicleta!

    Grande abraço, feliz ano novo!

    • Fellipe Faria disse:

      Feliz Ano Novo, Wendell! Espero que sua RTW sobre duas rodas saia em breve… e não esqueça de criar seu blog pra gente ficar sabendo desse giro! Abração e sucesso!!!

  5. Kécia disse:

    Parabens Fellipe!!
    Ótimo post! Adorei conhecer Madrid sob a tua ótica.
    Continue postando…
    Feliz Natal pra vc!
    Bjo.

  6. Rafael Papel disse:

    inveja do céu azul e frio europeu…

    quero ver foto sua pulando na fonte de barcelona!

    abraço e feliz navidad!

  7. Eduardo Zanatta disse:

    Lembrei tanto da Marilac lendo este post (2)…
    tomando teus bons drink e comendo bala de carne 🙂
    Por falar nisto, ta atrasado hein… Barcelona, Roma, Turim… e tu ja esta quase em Londres (que vai dar o que falar)
    haha

  8. Bicas disse:

    Eita, Adorei a parte não patrocinada… Figura!

  9. Daniel Santiago disse:

    Lembrei tanto da Marilac lendo este post… kkkk

Comentários, sugestões, dúvidas? Respondo a todos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s