O temido visto americano e a sonhada NY

Fila do consulado americano no Rio: deixei meu celular na banquinha ali perto por R$4!

Sumi por conta do excesso de trabalho, mas informo que estou de volta à multidão que acompanha este blog (grilos estrilam e bolas de feno rolam ao som dos ventos). Meu itinerário já estava praticamente fechado, mas a compra da passagem RTW – agora já definida – dependia do temido visto americano. Afinal, só assim eu poderia começar a volta ao mundo por New York. Com o visto expirado, não teve jeito: tive que comparecer ao Consulado dos EUA no Rio mais uma vez pra enfrentar aqueles momentos terríveis de tensão.

E como todo mundo, me enrolei todo com o novo preenchimento do formulário DS-160 pela Internet e o envio da foto digital. Caso alguém também esteja com as dúvidas que eu tive, vou descrever o que eu escrevi no formulário, baseado em profundas pesquisas na Internet:

National Identification Number: Tinha marcado “It doesn’t apply” porque achei que esse era um documento (tipo o Social Security) que só americanos tinham, mas depois de pesquisar voltei atrás e coloquei o número do meu CPF.

Passport Book Number: Coloquei “It doesn’t apply”, porque o passaporte brasileiro não tem esse dado.

Briefly describe your duties: Resumi minhas atribuições no emprego em duas linhas, sem muita certeza dos termos mais adequados em inglês para descrever “relacionamento com comunidades impactadas pela construção de um mineroduto”.

E só eu morro de rir com a parte das perguntas sobre segurança e background no formulário? “Você já participou de atentados terroristas, é integrante ou líder de uma organização terrorista?”, “Trabalha no ramo da prostituição?”, “É viciado ou traficante de drogas?”… Alguém realmente marca yes?

A foto que enviei e que eu mesmo tirei: Do I look like a terrorist?

Voltando à entrevista, foi tudo tranquilo. Fui vestido com roupa social (sem paletó nem gravata), de barba feita e levei uma pasta com milhões de documentos, que não precisei mostrar. Mas é preciso lembrar que a concessão de visto, como só quem já enfrentou sabe, pode ser extremamente subjetiva. Muitas pessoas vestidas com roupas simples e que se encaixam no estereótipo de imigrante conseguem o visto, enquanto algumas peruas cobertas de grifes costumam sair do consulado com a maquiagem borrada pelas lágrimas depois do visto negado. O importante é ir preparado, munido de documentos e argumentos que convençam os agentes que você não tem intenção de permanecer em território americano e – o mais difícil – manter a calma.

No meu caso, o senhor que me atendeu fez poucas perguntas, como a tradicional “o que você vai fazer nos Estados Unidos?”. Para evitar que ele soubesse que eu largaria o emprego e me tornaria um imigrante em potencial de acordo com os critérios da embaixada, eu logicamente omiti os planos de viajar alguns meses mundo afora e simplesmente disse que iria a New York. Mais algumas perguntas sobre meu trabalho e, enfim, a desejada resposta: “Seu visto foi concedido. Pague a taxa na agência dos correios na área externa do consulado”.

Enquanto eu esperava na fila em frente aos bequinhos onde são realizadas as entrevistas, fiquei com pena de uma mulher baixinha, morena, que aparentava seus 45 anos e vestida de maneira simples. A entrevista dela foi rápida, mais ou menos assim:

– O que a senhora vai fazer nos EUA?

– Visitar minha filha em São Francisco.

– O que ela faz lá?

– É empregada doméstica.

– Quem vai pagar a viagem?

– Minha filha.

– A senhora tem algum documento que comprove isso?

– Não. Precisa?

– A senhora trouxe algum documento que comprove seus vínculos com o Brasil?

– Também não.

– Senhora, hoje seu visto foi negado. Da próxima vez, traga documentos que comprovem vínculos com o Brasil e que mostrem que a senhora não tem intenções de permanecer em território norte-americano.

– Tá bom…

Naquela manhã ela foi a única pessoa que vi sair do consulado sem o visto. Em compensação, acompanhei também os sorrisos de casais que vão conhecer New York, de famílias inteiras que agora vão levar as crianças para o Walt Disney World em Orlando, jovens que vão viver a experiência de estudar alguns meses em colleges americanos. E lógico, a minha felicidade!

Conhecer a Big Apple é um sonho antigo. Muitos seriados, filmes e histórias de amigos que passaram por lá tornam NY a cidade que mais tenho vontade de conhecer no mundo todo! No ano passado, cheguei a ganhar um concurso cultural que me premiaria com uma viagem para lá, com tudo pago. Ganhei, mas não levei. A “revista” (na verdade, um calhamaço de matérias pagas) que organizou o concurso jogou a responsabilidade para a mambembe agência de viagens que patrocinaria o prêmio e vice-versa – um jogo de poder provinciano, que não tive tempo nem paciência pra enfrentar. A história é longa e me deixa triste só de lembrar, por isso não quero mais tocar nesse assunto. Agora eu vou a New York por minha conta, depois de muito trabalho, economia e planejamento.

O passaporte já chegou, portanto… Welcome aboard! Primeira parada, New York!

Times Square: my favorite non-visited spot on Earth

No próximo post, vou falar sobre o processo de desligamento do trabalho – uma etapa extremamente importante para a realização da viagem.

Anúncios
Esse post foi publicado em Plano de viagem e marcado , , , , . Guardar link permanente.

19 respostas para O temido visto americano e a sonhada NY

  1. Lays disse:

    Oi Fellipe,o fato de não falar inglês fluentemente pode atrapalhar no momento da entrevista ?

    • Fellipe Faria disse:

      Oi Lays! Os oficiais consulares falam português fluentemente. Eles provavelmente só vão querer te entrevistar em inglês se você estiver se candidatando a um visto especial, como o de estudante. 🙂

  2. Giovanna Lemes disse:

    Sou estudante;o que preencho no campo “Briefly describe your duties”.

  3. Leane disse:

    Na entrevista para o visto americano vc tem que estar com a passagem de ida e volta, correto? Como você faz, no caso da passagem RTW? Obrigada

  4. Mario disse:

    e olha só, então tu acha que quem usa barba (barba, não barba rala nem por fazer nem coisa do tipo, barba mesmo) tem menos chance de ser aceito?

    • Fellipe Faria disse:

      Mario, acho que não tem nada a ver. Hoje em dia barba é super comum (aqui em Porto Alegre, pelo menos, a maior parte dos homens usa barba). Se você não chegar com um turbante e uma placa I ❤ Al Qaeda, acho que não tem problema, né? 😛

  5. paulo disse:

    ah, e segunda-feira que vem tentarei o visto americano, para aí sim comparar Londres x NY.. o frio na barriga é forte..

  6. paulo disse:

    Londres tu vai babar,, o lugar é animal!!!! Legítimo primeiro mundo!! Parece filme..
    E não deixa de passar pela faixa dos Beatles (Abbey Road).

  7. Elisa Carolina Machado disse:

    Fiz a mesma coisa com o meu cpf.. não sabia que tinha que colocar o cpf naquele campo!! minha entrevista é nessa terça feira dia 08 de novembro.. como tu fez para mudar esse dado? estou meio que desesperada!!!!

    • Fellipe Faria disse:

      Elisa, acesse novamente seu formulário pela página do Visto dos EUA com o número do documento. Se não conseguir, pode ficar tranquila mesmo assim. Na fila do consulado, há alguns funcionários (brasileiros) que tiram dúvidas e ajeitam qualquer dado que necessite de modificação antes da entrevista. Resumindo, o preenchimento correto deste campo é importante, mas não será decisivo na aprovação de seu visto porque ele pode ser alterado no sistema na mesma hora pelos agentes consulares. Espero ter ajudado. Boa sorte e depois conta pra gente como foi!

      • Elisa Carolina Machado disse:

        Pois é, encontrei no site onde refazer o formulário mais fiquei com um pouco de medo pela minha entrevista já ser na terça feira agora.. tu acha que devo mudar no site? é na opção de refazer o formulário né? ou tu acha que devo esperar para modificar la mesmo? eles analisam o teu formulário na hora ou antes da sua entrevista? Desculpa as perguntas, mas é a insegurança mesmo! Obrigada fellipe

      • Fellipe Faria disse:

        Elisa, pode mudar antes sim! O agente consular só vai olhar para o seu formulário quando você estiver no guichê dele, quanto a isso pode ficar tranquila… eles não têm tempo de fazer uma análise prévia. Tanto que esses funcionários que te falei mudam lá na hora mesmo, nesse meio tempo antes de você chegar ao guichê. Vai na fé, com uma roupa bem arrumada (sem exageros) e principalmente demonstrando credibilidade, com as seguintes respostas na ponta da língua (mesmo que sejam só ficção, demonstre firmeza):
        – O que você vai fazer nos EUA?
        – Quando vai e quanto tempo você vai ficar lá?
        – De onde vem o dinheiro para pagar a viagem?
        Se você conseguir passar a credibilidade para convencer o agente consular por meio dessas três perguntas, ele provavelmente não vai pedir documentos nem perguntar coisas malucas (no dia em que eu fui, o agente perguntou pra um rapaz quando os pais deles se aposentariam e até quantas vagas na garagem ele tinha…). Vai na fé, vai dar tudo certo! Abração!

      • Elisa Carolina Machado disse:

        Que bom que é mais tranquilo então, vou tentar mudar isso hoje já.. para ir com isso pronto e não precisar pedir para mudar la!!! Em relação ao numero que colocar, tem gente que diz que é cpf e tem gente que diz que é o rg.. no dia que preenchi, minha agencia me aconselhou a colocar o cpf, mas eu digitei meu cpf de todas as formas e o sistema não aceitava.. coloquei com ponto, sem ponto e tudo mais!!! voce conseguiu colocar o numero do cpf sem problema nenhum? Muito obrigada pelas dicas, com certeza estou bem mais calma e estou com fé que vai dar tudo certo 🙂 Abraço

      • Elisa Carolina Machado disse:

        Oi fellipe, acabei de sair do consulado.. visto aprovado!!! Foi super tranquilo.. para a minha sorte não tinha muita fila no consulado de recife, tava tranquilo!!! entrei esperei minha senha e já perguntei sobre o meu cpf, o cara me disse que não tinha problema nenhum.. que se ouvesse algum problema o cara da entrevista ia me falar!!! Minha senha foi chamada e eu fui para a entrevistadora.. Me perguntou pra onde eu ia? o que eu fazia? onde eu estudava? que curso? quem ia pagar minha viagem? onde ele trabalhava? e porque eu escolhi san francisco!!!! depois disso ela me perguntou se eu falava ingles, dai eu disse que mais ou menos.. dai ela fez até uma piadinha dizendo que ela também falava mais ou menos o portugues!!! ela foi super querida.. e falou visto aprovado!!! minha entrevista durou dois minutos eu acho ou até menos 🙂 depois paguei a taxa do sedex e pronto, agora só é esperar chegar o passaporte!!! Boa sorte a todos que ainda vão tirar o visto, fiquem tranquilos e vão confiantes que é super fácil!!! Fellipe obrigada pela ajuda, você com certeza me deixou mais tranquila!!! Beijos

      • Fellipe Faria disse:

        Elisa, muito, muito, muito feliz por você! É uma satisfação enorme saber que o blog anda ajudando o pessoal por aí, mesmo que seja só uma forcinha ou uma palavra de estímulo! Não deixe de pedalar na Golden Gate Bridge, você não vai esquecer dessa experiência tão cedo! Beijo e sucesso na viagem.

  8. Fernanda disse:

    desculpa ter te decepcionado um pouco com NY, mas acho que vc vai gostar. Depois me diz o que achou de Londres tb….hehehe

Comentários, sugestões, dúvidas? Respondo a todos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s