Beleza e festa nas praias da Tailândia

Foram dias de sol, mar, descanso e confusão. Neste post, O Mochilão conta as melhores histórias do litoral da Tailândia. As praias mais famosas ficam no sul do país, na região conhecida como Andaman Coast. Há inúmeros destinos, mas questões fundamentais como tempo, orçamento e o perfil do mochileiro são decisivas na hora de escolher o roteiro por este paraíso no Sudeste Asiático. A belíssima obra de arte executada no Paint sobre o mapa ao lado mostra o longo percurso que O Mochilão fez e que vocês acompanham neste post.

_________________________

_______________________

Phuket: Turismo, sexo e dinheiro

Para chegar à primeira etapa desta jornada rumo ao paraíso, foi necessário enfrentar uma viagem de ônibus que começou às 18h em Bangkok e só terminou às 14h em Phuket (20 horas de viagem!), depois de um milhão de paradas e três trocas de ônibus. A viagem custou apenas 450 baht (US$ 13), mas se você estiver com dinheiro sobrando vale a pena cogitar o voo direto para o sul.

Mais que uma grande cidade ligada à porção continental do país por uma ponte, Phuket é um dos principais destinos turísticos da Tailândia. Mesmo na alta estação, há centenas de placas com o aviso de Room for Rent, indicando a intensa oferta de hospedagem. É preciso ter muita paciência para a rotina da busca por um travesseiro: enfrentar o calor da praia com a mochila pesada nas costas, subir escadas, verificar a condição dos quartos, pedir desconto… Depois de bater muita perna, acabei aportando em uma guesthouse na rua da praia em Patong Beach, a mais famosa e frequentada da cidade. Paguei 500 baht (cerca de US$ 15) porque só ficaria duas noites e depois daquela viagem de cão eu precisava de um descanso de verdade, mas encontrei alguns lugares mais simples por até 350 baht.

Pôr-do-sol em Patong Beach: e essa praia não é das mais bonitas da Tailândia

Cena muito comum em Phuket: turistas alugam jet skis, praticam parasailing e fazem a festa dos vendedores

Deu vontade de fazer uma loucura dessas, mas tudo em Phuket é meio caro para um pobre mochileiro

O lado menos anunciado de Phuket se revela com a chegada da noite: prostitutas, ladyboys e muitos turistas se misturam nos bares lotados de Patong, em meio a ambulantes oferecendo ingressos para o famoso “Ping-Pong Show” (para quem não sabe, muitas mulheres tailandesas dominam a arte milenar do pompoarismo e conseguem atirar bolinhas de tênis de mesa a mais de 10 metros de distância com a força da… bem, com a força feminina). Além do forte apelo sexual presente em Phuket, os preços dos produtos também chamam a atenção, mas de forma nada positiva. Tudo aqui é muito caro! Uma camiseta que em Bangkok custa 120 baht não é vendida por menos de 300 nas barraquinhas de Patong. Comidas de rua como o Pad Thai e o Kebab também são bem mais caros e até os menus das redes ocidentais, como Subway e Starbucks, são superfaturados. Prepare o seu bolso para Phuket…

Patong não tem nada de especial, mas deu para relaxar...

A cidade parece viver de turismo

Portas escancaradas para a prostituição: pole dancing no balcão dos bares e oferta de sexo no meio da rua

Em frente a uma nova atração turística em construção, ambulantes e artistas de rua envolvem os visitantes

O Tsunami de 2004, que matou centenas de milhares no Sudeste Asiático e chegou a destruir algumas ilhas que você conhece neste post, ainda está vivo na memória de todos por aqui

Em Phuket conheci a Sarah, uma brasileira que também está viajando pelo mundo depois de participar de ações de voluntariado no Vietnã e no Camboja. Acabamos seguindo juntos para o lugar mais bonito que já vi na vida.

As águas coloridas de Phi Phi

Mais paciência foi exigida no ferry boat de Phuket para Koh Phi Phi – o conjunto de ilhas que se consagrou como o cenário do filme “A Praia”, com Leonardo DiCaprio. No barquinho apertado, eu e Sarah sentamos bem atrás de uma oriental maluca, que ficava tirando centenas de fotos de si mesma com um iPad. Depois que ela juntava umas 500 imagens com a mesmíssima pose, a mulher colocava o troço em modo de apresentação de slides ao som de hits água-com-açúcar dos anos 80 – “Against All Odds”, “Total Eclipse of the Heart” e companhia – sem fone-de-ouvido! Depois de uma hora dessa sessão de tortura chinesa, um outro cara acabou perdendo a paciência mais cedo e mandou a doida parar, interrompendo a diversão da moça.

Mas a primeira visão das formações rochosas e das diferentes cores que parecem tingir o mar de Phi Phi era um sinal de que o percurso valeria a pena. Depois de encontrar um bom lugar para ficar (os preços são bem melhores que em Phuket), deu para curtir bastante as ilhas e suas paisagens espetaculares.

As verdes águas do mar da Tailândia

Relaxando em Phi Phi: nada melhor que uma piscininha de frente para a praia

Não existem carros nas ruas estreitas de Phi Phi. Só mochileiros e bicicletas

Phi Phi é um destino que parece receber apenas gente jovem. Com exceção dos trabalhadores locais, é muito difícil encontrar alguém com mais de 40 anos. Para conhecer as praias mais bonitas do local, na ilha inabitada de Phi Phi Leh, é preciso pagar por um pacote nas agências de turismo. Não precisa pesquisar muito, pois aqui quase tudo é tabelado: uma tarde de visita a Maya Bay (a praia onde foi gravado o tal filme) custa 250 baht, um curso de mergulho para iniciantes custa 3400 baht (sem chances) e as lan houses cobram 2 baht por minuto. Apesar da tristeza que é perceber a depredação e a falta de consciência de alguns turistas que deixam lixo por onde passam, a visita a Phi Phi Leh é imperdível. Além do snorkelling fantástico que abriu este post (peixes de todas as cores e tamanhos, anêmonas, esponjas e ouriços-do-mar ao alcance das mãos), você vai ver divertidos macaquinhos, paredões espetaculares e praias de perder o fôlego.

Na Monkey Beach, dezenas de macacos aguardam a chegada dos turistas e da comida fácil em meio ao lixo na areia

A natureza se rebela: a turista foi surpreendida pela fúria primata

O barquinho chega a Phi Phi Leh: água quentinha e cristalina

Acho que jogaram tinta nesse mar

Cenários surpreendentes em cada canto do pequeno arquipélago

Uma panorâmica da Maya Bay, a praia secreta do filme de Leonardo DiCaprio

Depois de conhecer cada canto de Phi Phi, que tal ver a ilha principal lá do alto? Para chegar ao View Point, é preciso enfrentar algumas centenas de degraus. Nada com que eu não esteja me acostumando, mas essa subida provavelmente foi a mais sofrida. Ah, mas o visual sempre vale a pena.

A maior escadaria da viagem: milhões de degraus rumo ao View Point

No topo da ilha, é possível ver as duas praias principais e suas cores distintas

Depois de tanto esforço, Sarah e eu merecemos uma cervejinha!

Uma hora as férias acabam… e chegou o momento de dizer adeus a Koh Phi Phi, rumo ao outro lado da costa da Tailândia. A Sarah ficou em Krabi, mas eu ainda peguei um ônibus para Surat Thani, de onde outro ferry me levou a mais uma ilha.

No ferry para Krabi, não tinha espaço para passageiros nem para bagagens

Koh Samui e as armadilhas do turismo

Na Costa Leste, a primeira parada foi em Koh Samui, uma ilha relativamente grande e bastante desenvolvida. Assim que você deixa o porto, uma cena que se repete em qualquer país em desenvolvimento (a rodoviária do Rio é um belo exemplo). Dezenas de motoristas disputando sua atenção, acenando, sorrindo e proferindo a desgastante sentença:

“Táxi, sir?”

Dica básica para todo mochileiro de primeira viagem: recuse qualquer proposta de pessoas que te abordam, principalmente aquelas que parecem oferecer um grande negócio. Dias inteiros de tuk-tuk percorrendo cidades por um preço inacreditável, ping-pong shows com cerveja de graça por um desconto imperdível, táxis que vão te levar para uma praia desconhecida dos turistas… os chamados scammers estão por toda a parte. No caso dos taxistas na saída de terminais, portos e rodoviárias, a recomendação é sempre caminhar pelo menos 300 metros e finalmente encontrar uma opção de transporte que não esteja contaminada pelos golpistas do turismo.

Desta vez não precisei andar tanto. Parei em uma locadora e perguntei à atendente qual era a direção para o bairro de Lamai e – coincidência? – ela respondeu que o marido estava indo para lá dentro de cinco minutos. Ofereci 150 baht (os taxistas cobravam 500!) pela carona e embarquei na caminhonete. A gasolina na Tailândia deve ser muito barata, porque o carro deve ter percorrido mais de 20km, sem exagero! Encontrei meu hostel – o mais chique que já vi até hoje – e desmaiei de cansaço.

Koh Samui tem duas praias famosas: Chaweng e Lamai. A primeira se parece com Phuket, sempre lotada de turistas e com aquele burburinho que às vezes enche o saco. Lamai também já inaugurou muitos estabelecimentos voltados para os estrangeiros, mas a quantidade de visitantes é muito menor. Alguma lei na Tailândia deve favorecer os resorts estrelados, pois o jeito mais simples de conhecer Lamai Beach é se hospedar nos hotéis à beira-mar. Até existem algumas ruas (pouquíssimas) para chegar à praia, mas é preciso andar quilômetros pela avenida principal até encontrar um acesso público. Por sorte, o hostel em que fiquei tinha um convênio com o hotel cinco-estrelas do outro lado da rua e eu podia passar por dentro do resort, enquanto invejava os aposentados endinheirados que se regozijavam em borbulhantes ofurôs e devoravam raras iguarias no restaurante de frente para o belo mar de Samui.

Lamai Beach: um paraíso quase deserto

Na praia de difícil acesso, poucos visitantes para disputar um pedaço da areia

Fiquei apenas dois dias em Samui, ansioso para mais um ferry rumo ao último destino no sul da Tailândia. Na ilha de Koh Phangan, a praia deixa de ser a atração principal e se torna apenas um palco, onde estrelas de todo o mundo se revezam em insanas performances da arte de festejar.

O sol ainda não havia deixado Koh Phangan, mas a lua cheia lá no fundo fazia questão de lembrar que aqui a praia é dela

Full Moon Party is INSANE!

Para celebrar a noite de lua cheia, todos os meses milhares de mochileiros se encontram na praia de Haad Rin, em Koh Phangan. Muita tinta no corpo e roupas fluorescentes são a base do dress code da Full Moon Party, uma festa difícil de esquecer (a menos que a vodka o impeça de lembrar dos detalhes mais sórdidos).

Fui para Koh Phangan com o Samuel, um mexicano que mora em Amsterdã e tirou alguns dias de férias – mas descanso não é uma palavra que combina com Koh Phangan. A hospedagem na praia da festa não é a mais barata da ilha, mas encontrar um taxi-boat depois de uma noite intensa como esta pode não ser uma escolha muito boa. Há muitas opções de acomodação em Haad Rin e uma cama num dormitório sai por uns US$ 15. Para um mochileiro radical, vi um quarto por 200 baht (US$ 6) – um buraco de rato muito quente, escuro, sem janelas e do tamanho exato do colchão estendido no chão.

Antes de ir para a festa, todo mundo se concentra em um dos bares da ilha. E lá fomos nós para o Same Same - o nome do bar vem da gíria usada em toda a Tailândia pelos vendedores para dizer aos turistas que algo é “a mesma coisa”. Mais ou menos assim:

-How much is this?
-Hundred baht.
-And this?
-Same same!
 

Um utensílio indispensável para todos os frequentadores da Full Moon Party é o balde. Vendido por mais ou menos 250 baht, o baldinho de plástico vem com umas três garrafinhas de bebida alcóolica, algo para dar uma adoçada e dezenas de canudinhos para compartilhar o néctar lunar com os amigos. Com tinta por toda parte e música eletrônica nas alturas (e o nível etílico também), todo mundo logo está pronto para a festa.

Lente de contato? Guache é a melhor opção para o olhar dos seus sonhos!

Mariana e Gabriela, vizinhas do Uruguai

Samuel e seu bucket de vodka

Yeah, we danced in table tops

Resposta para uma dúvida que eu tinha antes de ir para a Full Moon Party: a entrada é de graça. Vi alguns cartazes que informavam sobre uma cobrança de 100 baht, mas ninguém que estava no bar precisou pagar nada para chegar à praia.

Aliás, você só vai precisar pagar para beber e comer. Além das barraquinhas com diferentes setlists na caixa de som, há muitas opções de diversão gratuita na festa, todas muito especiais. Descer num toboágua sem água, pular uma corda pegando fogo, baile da espuma… Prepare-se para a noite mais maluca da sua vida.

Gente do mundo todo reunida para festejar a lua cheia

Pular corda é uma atividade que queima muitas calorias. Literalmente

Neste tobogã, todo mundo vai parar na areia. Vou tentar subir o vídeo da descida para vocês experimentarem esta gostosa sensação

A festa é muito divertida, diferente de tudo que já tinha visto em matéria de entretenimento noturno. Mas atenção: aprenda comigo e evite alguns problemas. Estou todo esfolado até hoje (provavelmente na descida do escorregador), perdi um par de Havaianas, a camiseta e algum dinheiro, previ um baita prejuízo com a câmera molhada e cheia de areia que chegou a morrer por alguns dias e ainda tive que pagar 1000 baht pelo sumiço de um par de chaves do armário para o tailandês safado que administrava o hostel. Um australiano ainda mais burro encharcou o passaporte, não dava nem pra ver a foto!

Portanto, uma recomendação imprescindível para uma Full Moon Party sem arrependimentos: Não leve nada que você não queira perder, pois isso será inevitável.

Baile da espuma? Que ano é hoje?

Eu era muito pequeno para ir aos bailes funks que consagraram a mistura de álcool com sabão em pó... mas para tudo tem uma primeira vez

Dança da cordinha picante: a única brincadeira que não topei

Depois de despertar com uma ressaca menos física que moral, tudo que eu queria era ir embora de Koh Phangan. Comprei correndo o primeiro pacote de volta para Bangkok e embarquei em mais um kit alegria – duas horas num barco sem ar-condicionado para Don Sak, uma hora de ônibus com gente sentada no corredor até Surat Thani e mais 12 horas de busão até finalmente chegar à capital.

Minha conclusão sobre o Sul da Tailândia: é lindo, inesquecível e imperdível. Mas hoje eu teria optado por alguns destinos diferentes depois de ver algumas fotos e vídeos de alguns amigos: Rayleigh, perto de Koh Phi Phi, e Koh Tao, próximo a Koh Phangan, parecem bem interessantes. Phuket não vale a pena. Quero voltar a Phi Phi. Encarar as horas de atraso e transporte capenga entre as ilhas é muito cansativo. E a Full Moon Party… uma vez na vida é suficiente.

No próximo post, O Mochilão se despede do Sudeste Asiático e segue para o Oriente Médio. Até lá!

Esse post foi publicado em Tailândia e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

70 respostas para Beleza e festa nas praias da Tailândia

  1. Amada Tiemann disse:

    Fellipe. Que belo post. Meu mochilão pra Tailândia, está sendo programado pro final desse ano. Também quero passar por Laos, Camboja e Vietinã.

    Eu gostaria muito de saber o que você tem a dizer sobre a segurança desses lugares. Ainda mais que será o meu primeiro e vou sozinha. Mais alguma dica a respeito.

    Obrigada e sucesso.

    • Fellipe Faria disse:

      Oi Amanda!
      Não ouvi falar de nenhum problema com mulheres viajando sozinhas no Sudeste Asiático. Não sofri nenhum assalto e nem me preocupei muito com isso, mas como esses são países em desenvolvimento (como o Brasil), sugiro apenas que tome cuidado com seus pertences (sem muita neura, pra não deixar de aproveitar)! Indico também o blog de uma amiga, a Fernanda: http://www.precisoviajar.com
      Ela viajou sozinha pelo mundo e é mais uma apaixonada pelo Sudeste Asiática. Ótimas dicas por lá! =)

  2. Calebe Sangi disse:

    Felippe,

    Adorei o post. Estou na Malásia a trabalho e estava pensando em passear na Tailândia, e Phuket seria minha primeira opção mas lendo seu relato já mudei de ideia e quero MUITO ir nessa Full Moon Party. Só uma dúvida: como posso saber qual o dia em que ela ocorre?

    Abraço!

  3. Oieeee Felipe! Addoooorei o post!Um dos melhores! Isso que já li mais de 30 blogs qndo comecei a planejar a viagem! heuehieueh
    Sou aqui de Porto Alegre e to indo com duas amigas pra lá! Chegamos dia 7 e voltamos dia 23 de abril, vamos pegar uma full moon no meio dia 14 ( depois desse post mal posso esperar!) . Lá vai as perguntasss…

    - Não tenho tanta grana pra ir de avião pro sul, mas tbm não queria sofrer tanto no busão.. trem vale?

    - Vou fazer as duas costas, por causa da full mooon no meio da viagem, faço primeiro Phi Phi depois subo pra samui ou o contrário?

    - Já tava sabendo de Phuket e optei por Krabi para ir pra Phi Phi, vale ou vou por phuket (sem parar por lá) mesmo ?

    - Já vi que tu não lembra o nome do hotel de Phi Phi hehehe, se lembrar avisa aí! O de Haad Rin em Phangan tu lembra?

    Era issooo, valeuu.. beijão!

    • Fellipe Faria disse:

      - Trem: Nem sabia que existia! Alguém te deu uma sugestão?
      - EU faria Phi Phi, Full Moon Party e descansaria em Samui… depois de toda a badalação, tu vai estar MUITO cansada, haha!
      - Dizem que Krabi é muito bonito. Não fui, mas se eu tivesse uma nova chance não desperdiçaria! :D
      - Olha, o de Koh Phi Phi tentei MUITO lembrar o nome, porque é uma barbada com aquela piscina e o quarto limpiiinho. Mas nunca consegui e não tá nos sites (cheguei e paguei). Em Phangan também ninguém reserva nada… é chegar e olhar onde tem vaga (porque tem MUITA vaga). Eu fiquei na rua que dá acesso à praia da FMP, na esquina de um restaurante que tinha SCHNITZEL no nome! Tinha umas 40 camas no quarto, mas é bem limpinho e MUITO barato (tipo uns 10 reais por dia, haha).
      Bjo e boa sorte na Tailândia (muita inveja de ti hehe…)

  4. Guilherme Gomes disse:

    Felipe show de bola seu blog kra, mts informações fotos, td excelente, parabens!!
    Seguinte kra, vou ter 10 dias na Tailandia em maio, vou chegar direto em Phuket pela noite, mas só vou dormir la e seguir minha viagem. Queria ir direto para Koh Pangam para pegar a festa do dia 14, vc acha que essa viagem direto para Koh Pangan é complicada??
    Minha idéia seria dois dias la, 3 dias em Koh Samui e o resto em Koh Phi Phi, vc acha que rola fzr esse trajeto, pois é o inverso do que o pessoal costuma a fazer??

    Obrigado, e parabens!!

    • Fellipe Faria disse:

      Fala Guilherme! Complicado não é, cara. Turismo é um grande negócio na Tailândia, então é facinho achar ônibus e van de qualquer praia pra qualquer praia. Mas acho que você tem que se preparar, porque esse circuito de vai e volta vai ser BEM cansativo (ainda mais depois de uma Full Moon Party, haha)! É muita van, ônibus, barco e tudo demora pra chegar. Mas o trajeto é tranquilo de fazer!!!

      • Guilherme disse:

        Obrigado novamente Felipe!! Então vc acha que rola?? Não posso deixar de ir na full moon correto?? Ou pela correria vc acha que é melhor ficar só em phi phi e koh samui?? Compensa eu levar sò a moeda deles ou é bom eu levar dólares tb??? Abrcss

      • Fellipe Faria disse:

        Guilherme, pra escolher duas entre Phi Phi, Samui e FMP, eu cortaria Samui! A praia é bonita, mas nada muito além disso.
        Lá é muito fácil trocar dólares, então não precisa se preocupar com isso (não leve tudo em dinheiro vivo, porque tu pode ficar muito bêbado ou ter um gatuno no hostel). Abração!

  5. karina de freitas disse:

    PArabens pelo blog !!! Quanto tempo leva a viagem de Ko Phi Phi para Ko Samui?

  6. Odilon Silva = RJ disse:

    Felipe, muito bom, muito bom mesmo, deu água na boca.

  7. Olá, Fellipe!
    Seus posts são sensacionais!
    Cara, tenho 2 semanas na Tailândia, de 24 de janeiro a 7 de fevereiro de 2014. Depois parto pro Cambodia. Você acha que dá pra conhecer legal?
    Já vou pular Phuket. Além das ilhas, você indicaria alguma outra cidadezinha acessível a partir de Bangkok? Não queria ir muito para o norte pelo termpo e porque vou viajar bem low budget!

    Aproveitando para perguntar se mais alguém aqui estará lá por esta época! :)
    Obrigada!

    • Fellipe Faria disse:

      Oi Isabela! Qualquer tempinho é bom pra conhecer a Tailândia!
      Com duas semanas, eu dedicaria 5 dias a Bangkok, 4 dias a Koh Phi Phi, 3 dias a Samui e mais uns 3 dias a Koh Tao (não fui, mas dizem que é demais!). Por isso, não sei se vale a tal cidadezinha… qualquer coisa, reduz em Bangkok (vale mais pela farra, pelo hub de mochileiros que se forma ali, etc.).
      Abraço e boa sorte!!!

      • Sensacional! Super obrigada pelas sugestões!
        E qual a melhor forma de ir de Bangkok pra Koh Phi Phi, sem perder tempo em Phuket?
        E depois, de Koh Phi Phi pra Samui?
        Parece que são beeeem distantes, confere? Minha viagem é low budget total, mas não queria perder dias e dias na ‘estrada’ por causa do tempo

      • Fellipe Faria disse:

        Isabela, disso no d pra fugir muito sem gastar com avio. Tem que pegar o buso + ferry pra chegar s ilhas e isso leva tempo mesmo (fica barato, mas a viagem bem cansativa). Sugiro pegar um nibus noturno, ali nas agncias da Khao San Road em Bangkok tu acerta tudo por um preo OK. :)

        Em 27 de dezembro de 2013 20:20, O Mochilo

  8. Marcelo disse:

    Cara, muitos parabéns!!! Seu blog é claro, enxuto, linguagem fácil e bastante explicativo. Gostaria de algumas dicas se possível!!! Até mesmo porque já perguntei para vários viajantes e não obtive respostas interessantes.

    Estou indo sozinho para a Thailandia agora em janeiro 2014. Sou uma pessoa baladeira aqui no Brasil e meu sonho é conhecer as baladas de Bangkok e ilhas. Você acha que além de ficar na Khao Sam Road, seria interessantes ficar em um hotel ao invés de hostel? Intenção? Conhecer meninas do mundo todo. Rola pegação forte a ponto de arrastar uma para o hotel ou hostel? Rs

    Outra coisa. Full moon party. Todos os vídeos que olho no youtube não me animam mesmo. Muito homem, gente acabada de bêbada e valores os hotéis super altos. No sentido da pegação!! Você indica com total certeza do mundo a festa ou mais uns dias em Bangkok?

    Dizem que a mulherada é linda, uma vez que são muitas europeias e como lá é tudo em conta elas vem pra gastar mesmo. Você achou fácil pegar mulher na Thailandia? Cara, desculpe o meu diretismo, mas é que está sendo fundamental para eu traçar datas e hotéis ou hostels.

    Abraço

    • Fellipe Faria disse:

      Marcelo, sugiro ficar nos hotéis da própria Kao San Road se estiver com algum amigo. Mesmo se estiver sozinho, Bangkok é um dos poucos lugares em que vale a pensa optar por um hotel – os preços são muito baixos, a qualidade é boa e você pode conhecer gente ali na rua mesmo ou na piscina do hotel.
      A Full Moon Party compensa sim, cara. Rola MUITA pegação, mas é que os vídeos desses europeus destacam mais as maluquices, as coisas pegando fogo, etc. É fácil entrar na pegação sim, pode ficar tranquilo que você vai se dar muito bem hahaha. Abraço e depois conta suas aventuras!

  9. wili disse:

    Ola Felipe, recebi seu post de uma nova amiga, que vamos encontrar em Bangkok e seguir pelas loucuras e deliciosas aventuras thai…vamos para o full moon party de janeiro..adorei as dicas, realmente boa..tinha ja pensado nessas coisas…sobre phi phi vou ficar somente uma noite e talvez um dia inteiro, nao sei ainda…e possivel conhecer um pouco em um dia apenas as ilhas vizinhas…abraços, boa viagem :-)

    • Fellipe Faria disse:

      Wili, eu dedicaria mais tempo para Phi Phi. Dá pra conhecer tudo em um dia, mas o legal da ilha é justamente passar um pouco mais de tempo por lá e dar aquela relaxada! Abraço

  10. luiza disse:

    Oi! Primeiro muito obrigado pelas informações :) pretendo ir a tailandia no fim de 2014, nunca viajei pra fora do país mas já botei na cabeça que só quero se for pra lá. Além da full moon party que lugares vc recomenda pra festas , musica eletronica , bebedeira e afins ?? Uma duvida que eu sempre tive “vergonha” de tirar hahah, sei que o povo tailandes é muito sorridente e simpatico, mas quanto ao comportamento das pessoas nas festas , digo, eles se pegam entre si sem se conhecerem previamente ou são socialmente e sexualmente apáticos como os japoneses?

    • Fellipe Faria disse:

      Luiza, é uma vergonha eu dizer isso, mas não peguei ninguém da Tailândia. Só rolou pegação com gente de fora, turista que nem eu, da mochila… hahaha. O que eu posso dizer é que não faltam oportunidades de pegação na Tailândia! Em Bangkok, na Khao San Road, tem muuuuuita oportunidade! E a Full Moon Party é IMPERDÍVEL pra ti, hahahahaha. Beijão

  11. Carol disse:

    Adorei o post!
    Estou procurando cia para viajar para tailandia de 12-01 a 30-01-2014, sabe qual o melhor site?? Na verdade terei 3 semanas, quais lugares vc recomendaria? Outros paises?

    Obrigada

    • Fellipe Faria disse:

      Carol, para encontrar companhia indico o mochileiros.com e os bons e velhos hostels. Sempre é possível fazer amizades no bar de um!
      Eu recomendo ficar na loucura de Khao San Road, visitar as praias (pule Phuket, por favor) e dar uma passadinha de três dias no Camboja para conhecer outra realidade. Ai, que inveja de ti! Aproveite muito!!!
      Um beijo

      • Carol disse:

        Oi Felilipe!
        Obrigada pela dica! Eu estava justamente pensando em ir ao camboja ver os templos de Angkor! Estou terminando meus 6 meses na alemanha e achei voos baratos saindo daqui para bangkok. Quero fazer quase o mesmo roteiro que vc fez, pulamdo phuket, mas ao contrario para poder ir na full moon que é no dia 15. Dessa forma eu teria que ir pra Ko Pha Ngan primeiro. Quantos dias vc sugere em cada lugar e quais meios de transporte!

        Obrigada!

        Bjao

  12. jpfelipe disse:

    opa! Estou indo pro sudeste asiatico no inicio de 2014, minha programacao é passar 35 dias entre Tailandia, Camboja e Vietna.
    Ja dei uma boa pesquisada, li bastante a respeito, mas oficialmente ainda nao montei de fato meu roteiro. Tenho bastante coisa em mente, gostaria de tirar uma duvida/dica sobre os custos, fiz uma programacao incial para passar cerca de 18 dias pela Tailandia e dividir 6 dias e 6 dias entre Camboja e Vietna, e ter uns 5 dias extras em aberto para qualquer eventualidade.
    Dentro desse cronograma, minha expectativa inicial é gastar uma média de U$ 50/dia.
    Pela sua vivencia, uma boa média para uma viagem de 35 dias seria quanto?

    forte abraco

    • Fellipe Faria disse:

      Felipe, nesses países US$ 50 por dia é bem tranquilo! Gastei cerca de US$ 25 por dia nesses locais.
      É muito difícil dar conselho sobre custos, porque meus padrões são beeeem tranquilos. Por mim não faz diferença dormir num quarto com mais 20 ou 3 pessoas. Então o que te digo é que com 50 dolares por dia nesses países dá pra ficar em hotel, comer em restaurante OK e beber uma cervejinha tranquilamente. Abração!

    • Karina disse:

      Oi, Felipe!
      Vou fazer esses três países em janeiro de 2013 também. Quer conversar para trocarmos dicas?
      Beijos,

  13. Mateus disse:

    e aí cara, estou indo para o Sudeste Asiático agora dia 11 de julho, só falta definir minhas hospedagens em Krabi e Koh Samui. Vc pode me dizer os locais que ficou e se valem a pena? Obrigado pela dica e pela iniciativa de fazer o blog!

    • Fellipe Faria disse:

      Mateus, só fui para Koh Samui! Não tenho referências sobre Krabi (só que é muito bonito e vale a pena).
      Lá em Samui, fiquei em um hostel chamado iBed. Não é dos mais baratos, mas como eu ficaria só duas noites e estava muito cansado decidi gastar um pouquinho mais e me preparar pra Full Moon Party. Indico fortemente, porque esse iBed é mais sofisticado e a praia fica ali do outro lado da rua. Abraço!

  14. Katia Silene disse:

    Oi Felipe amei sua matéria ,realmente um lugar maravilhoso. Meu irmão e eu estamos planejando essa viagem mas só podemos ir em outubro. Como esta o tempo nessa época do ano? Não temos 20 poucos anos mas 40 e poucos kkkkkkkmas somos muito descolados.um abraço

    • Fellipe Faria disse:

      Katia, o tempo está ótimo nesta época do ano – foi em outubro que estive por lá! É só não dar o azar de encontrar as enchentes, mas fora isso dá pra aproveitar bastante. E desencana, idade tá dentro da nossa cabeça! Abração

  15. Laura Bianchi disse:

    teste

    • Fellipe Faria disse:

      Laura, eu fiquei em um hotel que tinha piscina de frente para uma das praias principais da ilha, mas esqueci o nome! Assim que você chegar a ilha, passe direto pelos vendedores de vaga com as plaquinhas, porque eles tiram uma boa comissão. Vá a uma das lojinhas de mergulho, pergunte se tem algum brasileiro e peça a indicação do hotel com piscina mais barato e aproveite seus dias no paraíso! Boa sorte!!!

  16. Laura Bianchi disse:

    Oii Fellipe
    adorei seu blog!!
    vc escreve muito bem .. e suas informacoes ajudam muito =)
    eu queria saber onde vc ficou hospedado em Phi Phi..
    a foto na piscina ‘e nesse hotel ne ???

    Responda o quanto antes por favor … daqui ha 2 dias estarei la =)))))
    obrigada!
    beijosss

  17. Larissa Morgado disse:

    Fellipe, o onibus que voce pegou de Bangkok para Pukhet voce conseguiu onde?
    Estou planejando meu 1o mochilao, e nao sei direito esses detalhes. Voce, como minhas amigas, disse que nao vale a pena Pukhet, tem onibus pra Koh Phi Phi entao?

    Obrigada, Larissa.

    • Fellipe Faria disse:

      Oi, Larissa!
      Na Khao San Road você consegue ônibus pra qualquer lugar no Sudeste Asiático a bons preços (inclusive Koh Phi Phi!). Não esqueça de pesquisas nas dezenas de ~agências~ espalhadas pela rua, porque os preços podem apresentar grandes diferenças. Como é seu primeiro mochilão, acho mais garantido desse jeito do que o mais barato e oficial, que é procurar na rodoviária de Bangkok (lá as pessoas não falam inglês e o risco de pegar um ônibus para um outro lugar é bem grande). Quanto a Phuket, é quase unânime entre os mochileiros a opinião de que não vale a pena (principalmente pra mulheres, porque o lugar parece um prostíbulo a céu aberto). Boa viagem e aproveite muito a Tailândia!

  18. bruna guedes disse:

    Oi tudo bem? Moro na australia e estou indo pra Thailandia no final do ano para passar o ano novo na Full Moon… Vou chegar em Phuket dia 30/12 durmo uma noite e no dia seguinte quero pegar o transporte para Koh Paghan… Minha duvida é vou conseguir comprar isso assim em cima da hora, e quanto tempo de viagem, daria tempo de ainda chegar pro ano novo, devido esses atrasos que vc citou acima… Tenho amigos que ja foram mas eles foram por Bangkok então por Phuket pode ser diferente… Muito obrigada… Bruna Guedes.

    • Fellipe Faria disse:

      Bruna, acho essa operação um tanto quanto arriscada, viu? Nos dias em que estive por lá os ferrys atrasaram, estavam BEM lotados e não era nenhuma data especial. E você ainda vai ter que pegar estrada! Eu iria direto pra Panghan (o mais rápido possível!). Detestei Phuket, é tudo muito caro e nada parece muito autêntico – não lembra nem de longe a Tailândia que me deixou com vontade de voltar. Mas dizem que se conselho fosse bom… hehe.
      De qualquer maneira, ressalto que seguindo seu plano você correrá o sério risco de passar a noite de ano novo numa parada de ônibus ou num terminal portuário na Tailândia – não conte com organização ou pontualidade! Espero ter ajudado… fiquei com inveja branca da sua aventura! Aproveite e “kob kun kaap” pela visita!

      • bruna guedes disse:

        Muito obrigada, vc é fera nas dicas! Então talvez eu ja va direto no dia 30/12 assim que chegar do meu voo em Phuket ja pego o transporte, barco sei la hahha ja me falaram pra tomar cuidado pois os barcos sao bem precarios! Enfim mt obrigada… Vou com mais 2 amigas, vc nao anima entrar na aventura hahahah.,. Thanks a lot! xx

      • Fellipe Faria disse:

        Boa viagem! :)

  19. Pingback: Israel: momentos intensos na Terra Santa | O Mochilão

  20. Gente, o Bolshoi tá morenaaaaaço! Que cor do pecado é essa??? huahuahuahuahau
    Eita aventura louca esta deste post hein! ;)

  21. Melhor post até hoje 2!!!!! Adorei!!!!!!
    Tem umas loucuras que a gente tem que fazer uma vez na vida né!!!!!
    Super beijo bol!!!

  22. Viviane disse:

    Já topei, amigos! = )

  23. Viviane disse:

    Eu já topei, amigos!= )

  24. Bicas disse:

    Fltro solar urgenteeeeeeee! vc tá ficando azul de tão queimado, criatura!!! Lindo Lugar!

    • Fellipe Faria disse:

      To roxo! Pena que daqui a pouco comeco a descascar… queria ficar com essa cor pra sempre, hahaha! Abracao

      • Gabi Lopes disse:

        Usa muito hidratante, Bolshoi!!! Pela primeira vez na vida fiquei moreninha, graças a combinação filtro, hidratante e oleo de amendoas de criança no banho!!! =)
        Beeijocas, Gabi!

      • Fellipe Faria disse:

        Gabi, eu comprei mesmo! E o pior é que aqui na Jordânia o frio tá de matar, meu cotovelo tá russo, haha! Vamos ver até quando a pele aguenta… beijão!

  25. Kécia disse:

    Demais Felipe!!
    Que festinha maluca essa!
    Fiquei curiosa em ver o video…hehe…
    Ah… uma curiosidade: vc afinal viu ou não o show de ping pong? kkkk
    Morri de rir…
    Boa sorte nesta nova etapa da viagem!
    Bjo.

    • Fellipe Faria disse:

      Kecia, até tentei fazer o upload pro Youtube, mas tá duuuro!!! E o Ping-Pong Show vai ficar pra próxima… além de ser muito caro, meus amigos disseram que as mulheres têm uns 50 anos e o cheiro do lugar é terrível! Beijo, valeu!

  26. Rafael Papel disse:

    “Dança da cordinha picante: a única brincadeira que não topei”
    quer dizer que vc foi no pula cordas??

    post muito bom e Phi Phi parece ser (pelos posts) o lugar mais incrivel que vc ja visitou neste mochilao!!!

    boa viagem para o Oriente! aguardo noticias…
    e fiquei curioso com o: “Depois de despertar com uma ressaca menos física que moral”
    merece um inbox!!!

    abraço!

    • Fellipe Faria disse:

      É lógico que pulei! Tô com uma queimadura no pescoço até hoje, mas é divertido demais! Phi Phi é muuuito show… Aguardem noticias na inbox, hauahuahau!!! Abraço

  27. Verônica disse:

    Bôl, já pode participar daqueles programas de baladas loucas do canal E! Hahaha

  28. Daniel Santiago disse:

    O melhor post ate hoje! Quero ir pra Tailandia tbm!!!!!!

Comentários, sugestões, dúvidas? Respondo a todos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s